Coaching e Desenvolvimento de Competências

O Coaching, entendido como um processo de acompanhamento individual, destinado a impulsionar o desenvolvimento profissional e pessoal dos colaboradores, tem vindo a revelar-se, como uma das mais eficazes metodologias de desenvolvimento, dentro dos actuais sistemas de gestão por competências. Podemos dizer, que o Coaching, é uma consequência natural das novas formas de praticar a gestão. Empenha-se em desenvolver trabalhadores resilientes, capazes de continuarem quando confrontados com dificuldades.

A prática do Coaching tem vindo, progressivamente, a ser implementada nas empresas portuguesas, embora, a sua formulação apareça, essencialmente, ligada ao Coaching de Executivos, realizado por consultores externos. Procuramos, clarificar alguns equívocos, relativamente à utilização do Coaching, como uma ferramenta apenas direccionada a alguns segmentos organizacionais e queremos promover o Coaching como uma ferramenta essencial para a gestão das pessoas a todos os níveis da organização.

Entendemos que é necessário contribuir para a divulgação do Coaching, como uma ferramenta a integrar na gestão quotidiana das equipas. O Coaching deverá ser entendido como uma peça fundamental, num sistema de aprendizagem contínuo e orientado para resultados. O seu objectivo é garantir, através dos seus três elementos mais importantes – pessoas, desempenho e resultados positivos, um desempenho de excelência dos colaboradores, incentivando-os a alcançar o seu máximo potencial.

Na actividade de formação e consultoria, temos vindo a conduzir projectos de implementação de metodologias de Coaching para desenvolver, dentro das empresas, gestores-coaches e temos constatado, através da medição de indicadores das empresas que o Coaching praticado pelos gestores, aos vários níveis da organização, é o sistema de desenvolvimento pessoal e profissional que melhor responde às exigências das organizações.

O Coaching parte de um modelo aferido de gestão de planeamento, actuando ao mais alto nível e focalizando-se na máxima produtividade individual. A partir de Planos de desempenho e respectivos planos de acção (modos específicos como as tarefas e funções serão executadas) que devem resultar de uma negociação entre o coach e colaborador, cada um é encorajado a maximizar as suas características únicas, para adquirir novos conhecimentos, comportamentos e habilidades, através de uma actividade permanente da gestão.

Pensamos ser necessário desmistificar o âmbito de aplicação do Coaching, apresentando-o como uma ferramenta a integrar no exercício habitual da actividade dos gestores, que tem como finalidade última, uma filosofia de gestão, em que as pessoas se envolvem no seu próprio crescimento profissional, promovem os seus talentos únicos e são encorajadas para o sucesso pessoal e profissional, incrementando, assim, a produtividade organizacional.

É nossa convicção que ainda há muito a fazer no campo do Coaching organizacional.

Paula Tomás
Managing Director da Paula Tomás Consultores

Categorias:Coaching Tags:Coaching consultoria Desenvolvimento Paula Tomás Consultores PTC

Partilhar esta Publicação

Comentar

*