A inevitabilidade de dar Feedback, mas como?

Anteriormente destacámos a importância da avaliação de desempenho. Nesta edição, queremos dirigir-nos a uma das ferramentas essenciais dessa avaliação – ou outra avaliação de qualquer cariz, seja ela de resultados, de competências, de potencial – o Feedback.

Antes de tudo interessa esclarecer: o que é o Feedback? É uma ferramenta de comunicação, que se traduz na capacidade de dar e receber informação, opiniões, críticas e sugestões sobre as nossas atitudes, comportamentos e/ou estimular uma acção, seja ela individual ou em grupo. Torna-se, assim, um instrumento essencial para a gestão de pessoas.

Faz todo o sentido ser colocado em prática em qualquer organização nos dias que correm, em que os mercados são competitivos, e que diariamente são colocados novos desafios aos gestores para a obtenção de mais e melhores resultados. Esses resultados são apenas atingidos se houver compliance por parte do capital humano. O Feedback permite direcionar a atenção das pessoas, incentivar e reforçar o desempenho desejado, encontrar alternativas para mudar o comportamento indesejado e eliminá-lo no futuro, e incentivar as pessoas a se desenvolverem e motivarem.

Para conseguirmos transmitir Feedback de forma eficaz, devemos ter em conta um conjunto de condições necessárias. Em primeiro lugar é importante garantir um ambiente de segurança e confiança, em que as normas de controlo sejam do conhecimento de todos e não haja lugar a surpresas. Todos os colaboradores devem estar ao corrente das informações importantes e isto deverá ser feito no quotidiano das organizações, para que cada um conheça o lugar que ocupa e as suas responsabilidades. O Feedback sobre o desempenho, por exemplo, deve ser comunicado em privado, sempre adoptando uma postura de quem quer ajudar e não uma atitude superior. Perante a necessidade de transmitir Feedback negativo, corrigir, chamar a atenção para determinada situação, devemos ser directos e evitar rodeios. Lembremo-nos da velha máxima da comunicação, comportamento gera comportamento e estejamos preparadospara receber o feedback ao nosso feedback. Evitemos reagir de forma defensiva, afinal, o que se pretende é reunir informação sob cada ponto de vista. Assim, procuremos utilizar expressões positivas para assegurar o clima de cordialidade e empatia. Acompanhemos com atenção o nosso interlocutor, olhando-o nos olhos, dando sinais de verdadeira escuta activa. Recorramos à linguagem não-verbal para nos facilitar o entendimento mútuo. Ao encerrar o Feedback, façamos um resumo sobre a sessão, para nos certificarmos que tanto para nós como para o receptor foi assimilado o mesmo entendimento sobre o que foi decidido.

O Feedback, é sem dúvida um desafio inevitável para a liderança das equipas de trabalho. É um exercício que traz o desenvolvimento das capacidades, estimula a motivação, permite que haja evolução e crescimento de forma sustentada. Usemos e abusemos, com eficácia, desta magnífica ferramenta!

Categorias:Artigos

Partilhar esta Publicação

Comentar

*