O caminho da Liderança

Os grandes líderes são otimistas natos, criam a visão, mobilizam massas, fomentam o compromisso, reconhecem as necessidades, programam-se para o sucesso, etc.. Mas não basta, a chave do sucesso está em dispor de habilidades mentais e adotar comportamentos adequados para levar os outros à ação.

Os caminhos traçados pelos líderes exemplares passam por estarem atentos às pessoas, por trabalharem lado a lado com os seus pares como forma de desenvolvimento, de estarem com as pessoas nos momentos mais incertos e de fomentarem nos outros o pensamento crítico sobre as suas práticas.

Contudo, os seus sonhos e desejos não chegam, é necessário fazer sentir aos colaboradores a necessidade de mudança e isto só é conseguido através do diálogo. Os líderes são influenciadores por excelência, o processo de influência só é bem sucedido se o líder souber gerir a diversidade, ou seja, as diferentes visões do mundo, os diversos estilos de pensamento, os diferentes valores e aspirações dos colaboradores, permitindo um melhor conhecimento de si próprio e assim melhorar a capacidade de comunicação adaptando-se aos diversos canais de representação para estimular a adesão.

Segundo Daniel Goleman, o segredo da liderança reside na competência para lidar consigo mesmo e com os seus relacionamentos, o que certamente constitui um enorme desafio para os líderes atuais.

Acrescentamos mais uma competência que nos parece fundamental, o pensamento estratégico, o ser capaz de criar a visão, tão necessária hoje nas nossas organizações. O Líder deve ser capaz de identificar o estado atual e o estado desejado da sua organização ou área funcional e traçar um itinerário, contemplando, os estados de transição necessários para atingir o objetivo, quem opera nesse processo e que meios necessita para atingir o tal estado desejado.

E como uma organização, por si só, é uma abstração, são necessárias as pessoas para lhe darem vida, assim, os líderes não se preocupam só com a criatividade e com a inovação, mas também com a sua equipa. Um bom líder utiliza no seu vocabulário o termo “nós”, incentiva a colaboração e estabelece um relacionamento na base da confiança e da segurança, conseguindo levar os seus colaboradores a alcançarem objetivos que julgavam inalcançáveis e mais, conseguem que as mudanças e os riscos sejam aceites.

Portanto, pode dizer-se que chefes inadequados baixam a qualidade de vida das organizações, e consequentemente, baixam a qualidade de vida das pessoas.

Goleman enfatiza que um líder emocionalmente inteligente atrai talentos, pelo prazer que é trabalhar em sua companhia. Do mesmo modo, chefes irritados, dominadores e frios afastam as pessoas.

Os líderes eficazes procuram incessantemente o desafio, o desconhecido, algo que rompa com os referenciais existentes, procuram oportunidades para inovar, fazer crescer e improvisar, contemplando igualmente nesta procura o risco e o possível falhanço, mas só através da experimentação se pode chegar ao caminho certo, ao caminho para o futuro.

A chave para aproveitar as oportunidades está na aprendizagem do dia-a-dia, em lidar com os obstáculos e com os insucessos.

O líder do futuro será alguém capaz de desenvolver uma cultura ou um sistema baseado em princípios, mostrando a coragem e a humildade de aprender e crescer continuamente com sua equipa.

Categorias:Liderança Tags:Formação líder Liderança Paula Tomás Consultores PTC

Partilhar esta Publicação

Comentar

*