Pesquisas na internet têm impacto emocional e cognitivo

Sabe-se hoje em dia que dos cerca de 73% dos americanos adultos que utilizam a internet, metade faz com o objetivo de pesquisar informação e cerca de 38% para se distrair.

A Universidade do Missouri relacionou este nível de utilização da internet com o impacto emocional e cognitivo, percebendo que os leitores que pesquisam informação nos motores de busca têm uma resposta emocional mais intensa e tendem a compreender e lembrar melhor a informação encontrada, face aos restantes utilizadores.

Verificou-se como os métodos de aquisição da informação afetam as respostas emocionais dos utilizadores quando lêem novas informações e histórias. Através da monitorização da frequência cardíaca, alterações dos músculos faciais e alterações epidérmicas, os investigadores perceberam ainda que os conteúdos considerados “desagradáveis” tais como notícias tristes, provocavam nos utilizadores de motores de busca um aumento ainda mais significativo na resposta emocional. O mesmo se verificou para a compreensão e memória.

Concluiu-se assim, que o meio através do qual a pessoa acede à mensagem é determinante para o impacto cognitivo e emocional. Estes resultados têm particular incisão nas campanhas de Marketing das empresas, que já procuram encontrar formas de divulgar anúncios em páginas com maior ranking no Google.

Embora a pesquisa ainda não forneça uma explicação para este fenómeno, acredita-se que, quando se faz uma pesquisa específica no motor de busca dá-se mais atenção aos resultados encontrados e consequentemente à leitura. O contrário acontece quando a pesquisa é encontrada de forma aleatória.

Categorias:Notícias Tags:Emoções Paula Tomás Consultores PTC

Partilhar esta Publicação

Comentar

*